22 junho 2010

Psiquê

Eu nunca pensei que eu veria tanta gente sofrendo de amor. Se é que se sofre de amor, porque o amor mesmo não faz sofrer. São as coisas que nos impedem de amar, que verdadeiramente nos fazem "sofrer". Até porque, no amor, ninguém machuca ninguém! Nós é que somos responsáveis pelo que sentimos. Eu ja disse em outras postangens, mas eu vivo repetindo: que a gente não deve amar possuindo. Porque ninguém possui ninguém, então de certa forma, ninguém perde ninguém. Vale como consolo?
Eu já sofri também, mas aprendi a equilibrar os sentimentos e as consequências. Não devemos tocar na alma dos outros, e não devemos deixar que toquem na nossa também.

Eu não devo toca-la, mas às vezes eu me esqueço. Esquecendo mesmo quase erro, porque vou na sede de sentir aquele rosto e quase nos entrego de bandeja a quem quiser comentar. Também às vezes me lembro no meio do caminho para o beijo, que este não deve ser feito, pelo menos não ali... Mas quase é mais forte que eu, e eu não quero resistir. É como perder o controle: só que eu não perco, eu me deixo sentir tudo aquilo. Eu me deixo respirar, me deixo livre, me deixo sem fim.


Como é que nós queremos nos proteger, de uma coisa que já está do lado de dentro?

2 comentários: