21 novembro 2010

Último pensamento

Nenhum comentário:
Às vezes eu gostaria de falar muito mais do que eu falo. Mas, desde sempre eu fui bem quieta: Principalmente se relacionado a coisas sérias, eu tenho certa dificuldade para conversar e isso é bem claro. Quando criança era a vergonha que me impedia de falar. 
Sou distraída, acho que não tem pessoa mais desligada do que eu, e isso pode acabar passando a impressão de indiferença, eu acabo ficando com imagem de chata, arrogante ou sei lá qual. A questão é que ás vezes eu não tenho mesmo vontade de falar, rs.
As palavras me limitam e nem sempre eu consigo explicar as coisas do jeito que eu gostaria.
Tem momentos que eu precisaria usar palavras que não existem.

De qualquer forma, eu gostaria de contar sobre todas as coisas que eu sinto. Todas as vezes eu que eu estive bem ou não. Olhar diretamente os olhos, apertar com um forte abraço e dizer sobre todas as formas de amor que eu aprendi que existem.
O amor encantador,  do amor puro, do amor forte, do amor desesperado, do amor que perdoa, do amor verdadeiro, do amor louco, do amor simples ou complicado, do amor doce, do amor frio, do amor falso, do amor que fica e do que vai embora pra sempre.
De todas as formas  que ele têm e das coisas que eu senti ou sinto, era o que eu gostaria de conseguir falar. Mas não consigo.