06 novembro 2011

Sobre essa vida bandida

3 comentários:
Depois de tanto levar tapas na cara, agente acaba quebrando os dedos do primeiro FDP (sendo esse amigo ou não) que levanta a mão para te dar oi.
Um caso muito interessante por exemplo foi o vestibular que eu fiz ontem. Independente se era a facu que eu queria ou não, não passar na seleção é muito triste, ainda mais quando todo mundo fala que é fácil e que precisa-se apenas de uma boa redação (Não se sabe o resultado ainda).
Como sempre eu fui criando expectativas sobre essa prova, nem dormi direito, virei a madrugada treinado para o zumbiwalk do ano que vem. Estudei mais um pouco para não me sentir despreparada. Quando eram 7h10, vendo que já era de manhã e que eu não iria conseguir dormir mesmo, fui afogar a ansiedade em 4 xícaras de café. 
Mas enfim, vamos a parte que interessa: Quando finalmente fui fazer a prova, me deparei com um caderno fino (E BOTA FINO NISSO!) de 35 questões segundo o gabarito. Pensei "TÁ SUAVE...". Suddenly I see, que não tinha caído nada, absolutely nada do que eu tinha estudado e que na verdade eram apenas 25 questões e não 35.